segunda-feira, dezembro 04, 2006

Don´t call me Grunge...not fit to be

Há algumas semanas atrás, a Rádio Comercial organizou um concurso meio-idiota em que os concorrentes tinham que escrever uma frase original a dizer porque achavam que deveriam ser eles a ganhar, e a incitar os ouvintes a votarem neles, via net ou telefone. O vencedor (no caso a vencedora, que foi uma miúda do Porto. Só podia, não é? Força, Portooo!) ganhou o direito de ir ao Havai assistir in loco ao concerto dos U2. Até aqui, tudo maravilha. Deve ser porreiro conhecer o Havai, e até gostava de ver os U2 em concerto (já que gosto de alguns dos singles mais antigos) desde que, como é evidente, fosse de graça. Tive oportunidade de os ver em Lisboa, mas não me quis separar de largas dezenas de euros. É que criei afecto pelas notinhas e sou um sentimentalão do caraças.

Mas o que me chocou foi saber que a 1ª parte do concerto estava assegurada pelos...Pearl Jam!
Sim, chocou-me! Chocou-me saber que um dos expoentes máximos do grande movimento Grunge de Seattle, que tanta importância teve na década de 90 e na minha geração, autor de hits tais como "Alive", "Daughter" ou "Jeremy" (embora as minhas músicas favoritas deles sejam as relativamente desconhecidas "Policeman", "Whipping" ou "Nothingman"), está reduzido a ter que fazer a 1ª parte do show de uma banda pop (os U2 já foram rock, mas não mais) do mais comercial e "corporate rebel" que se faz à face do planeta, liderada pelo Bono "Sou muito mais bonzinho e infinitamente mais cool que Jesus Cristo" Vox.

Uma vez a revista Mad fex uma BD curta a satirizar o festival Lollapalooza, onde o Dennis Rodman (!) entrevista cantores como a Courtney Love, os Red Hot Chilli Peppers, ou o Trent Reznor.


Dennis pergunta a Eddie Vedder:

"What did you feel the day Kurt Cobain died?"

e ele responde:

"I thought: What a lucky bastard! Now he´ll grow to become an immortal, ageless pop icon, like Marilyn Monroe or James Dean, while 20 years from now I´ll be old, fat and bald and still be singing Jeremy at some lame summer festival."

O humor corrosivo do Mad costuma ser profético.

Moral da História: se fosse eu, ia curtir para o Havai, assistia à primeira parte do concerto e cagava de alto para os irlandeses, católicos, bem-comportados meninos-propaganda da ONU!

5 Comments:

Blogger Muse tornou público que...

Mainada!!!

apesar de os pearl nao serem tb uma das minhas bandas de eleição, têm musicas excelentes, mas nunca me puxaram totalmente, acho as musicas deles excessivamente longas... se tivessem metade do tempo eram um luxo!!! ;p

mas entre pearl e U2 vejam mil vezes os Pearl!!!!

10:32 da tarde  
Anonymous Paulo Cesar tornou público que...

nao poderia deixar de tornar aqui publico q concordo inteiramente. Eu, pessoalmente, nao suporto mesmo nada U2. Para mim, sao os Delfins lá de fora o que, por si só, ja diz tudo o que penso deles.

1:33 da tarde  
Blogger J.P. tornou público que...

Obrigado meu Deus!!
Afinal há alguém que me entende!

12:02 da manhã  
Blogger J.P. tornou público que...

Obrigado meu deus!
Finalmente alguém que me entende!

12:18 da manhã  
Blogger Little Bastard tornou público que...

atão a senhora do porto dá-se ao trabalho de concorrer, ganha, e é obrigada a ver um concerto inteirinho dos U2?!

4:09 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home