sábado, dezembro 23, 2006

Caridade Cristã? Sim, mas só entre 20/12 e 06/01

"Compro um perfume novo ou 50 moçambicanos fazem o teste de HIV/SIDA?"

Estes e outros dilemas morais são-nos propostos (impostos!?) pela AMI todos os dias em jornais, rádios e TVs. Outros projectos de carácter semelhante são-nos apresentados por outras organizações humanitárias de dimensão regional, nacional, europeia ou mundial.

Não gosto disso!

Mão me interpretem mal. Não condeno a caridade, antes pelo contrário. Uma parte utópica e idealista de mim pensa que a caridade é um acto solidário e altruísta que vem favorecer os que mais necessitam de ajuda. Por outro lado, se seguirmos uma linha de raciocínio fria, calculista e nihilista, a caridade é um acto que nasce da sensação de piedade, que é uma afronta ao género humano, uma vez que ao sentirmos piedade por alguém estamos tácitamente a situarmos essa pessoa a um nível inferior ao nosso (Claro que eu não sou assim tão frio. SE eu o fosse e SE tivesse uma mente retorcida, ainda me lembraria de graçolas de humor e gosto no mínimo questionáveis, do género: "Se eu comprar o perfume, toda a gente ganha. Eu fico cheiroso, e 50 moçambicanos não ficam a saber que vão morrer em breve" ou pior ainda: "Porque é que em África não passam frases de sentido inverso tipo: "50 Moçambicanos fazem uma vaquinha para comprar um perfume ou um português faz o tesde de HIV 50 vezes? Só para ter a certeza?"").

Mas pelos conceitos de bem e mal que o Ocidente aceita, caridade é bom. Ajudar os outros é bom. Concordo. Mas não concordo com a Hipocrisia.

Não concordo com a hipocrisia de todos nós que pensamos sempre: "Estamos no Natal, por isso vou dar algumas migalhas aos pobres de todo o mundo. Assim livro a consciência do facto de viver melhor que 75% da população mundial, e o resto do ano posso continuar cagando de alto para eles". E não concordo com o facto dessas organizações humanitárias fazeremm chantagem emocional justo nesta altura do ano. E os restantes 350+ dias???

E de que vale ajudar os países mais pobres? Quem me diz que o meu dinheiro vai para quem necessita? Eu não sei a que ponto posso acreditar na honestidade dessas organizações. Mas sei que não posso confiar na dos líderes dos países africanos.