sábado, setembro 30, 2006

Mermaids by Night

Quem é o realizador americano de origem indiana, célebre pelos seus filmes insólitos, natural de Philadelphia e muito bairrista, que na adolescência viu muitas vezes este clássico dos anos 80, quem é?



Agora a sério, eu gosto muito do M. Night Shyamalan, mesmo que "A Vila" tenha sido alta estucha.

Este Lady in the Water é um belíssimo filme, onde Shyamalan muda um pouco a estratégia habitual. Não muito: a cadência é a de sempre...leeeeennntttaaaa sem se tornar aborrecida; o elemento sobrenaturalé mais forte que nunca, aliás este filme assume-se como um conto de fadas (é a transladação de uma milenar lenda asiática para a América subúrbia da actualidade); a personagem principal masculina, interpretada por Paul Giamatti é a típica personagem Shyamalaniesca, quebradiça, sofrida e cicatrizada, inferiorizada de corpo e alma. Outrora um médico, Cleveland Heep perdeu a mulher e os filhos num assalto e é agora um homem derrotado, gago, que ganha a vida como zelador de um condomínio fechado. O filme é adequadamente claustrofóbico. O mesmo se pode dizer da personagem principal femenina, a criatura aquática Story, representada pela discretamente bela Bryce Dallas Howard (outrora a cega de vista e de amor e de determinação de "A Vila"), destinada à realeza embora exteriorize um paradoxo de inocência e de anseio de protecção.

Mas há diferenças. A primeira é que ao contrário dos filmes anteriores de MNS, o segredo não é descoberto no fim. Outra é que ao contrário das outras obras, o realizador não se contenta em fazer uma cameo appearance, e é mesmo uma persongem secundária essencial para a trama.

Este filme apresenta também um leque de personagens notáveis...algumas pertenceriam a um filme de Kevin Smith, e outras nada devem às que figuram na galeria Lynchesca.

Simultaneamente, além do suspense, do humor (o humor, adequadamente insólito de Night nunca poderia faltar) e da fantasia, Lady in The Water tem, bem escondidas no seu fundo, referências políticas. Não faltam noticiários na TV sobre a Guerra no Iraque, as personagens a falarem dos tempos terríveis que se vivem, existem referências a atropelos à liberdade de opinião: a personagem de Night é um escritor que será assassinado (por um louco, um extremista, uma organização governamental americana?) por dizer o que sente e o que vê, e cujos pensamentos influenciarão uma criança que será um líder que trará ventos de mudança...vai uma aposta que MNS não é Republicano?

Reparem no filme...Um condomínio fechado habitado por pessoas de todas as idades, multi-racial - brancos, hispânicos, asiáticos, indianos, negros - (isso não será uma metáfora da América? )

...que pretende ajudar uma criatura bela e frágil, e entregá-la a uma águia (uma bald-eagle?) que a levará para a segurança e para a glória...(isso não será uma alusão aos ideais estéticos americanos, abalados pelas suas actuais políticas externas?)

...ao mesmo tempo tem que a defender de um cão-arbusto -um bush-dog!? - (isso não terá um significado mais profundo?)