sexta-feira, julho 28, 2006

A F-21 on the roof


Há que ser justo e reconhecer que Isaac não teve uma vida fácil! Não, Isaac teve mesmo uma vida muito tramada!
Logo ele que era tão certinho, trabalhador, alegre, que gostava de tocar o seu violino…mas vá-se lá saber porquê, as pessoas não iam à bola com ele!


Onde quer que fosse, todos torciam os seus pequenos narizes arrebitados e começavam a dizer cobras e lagartos do bom do Isaac. Pois que é rico e agarrado, pois que é usurário, ai que tem o nariz adunco, ai que matou Nosso Senhor e etc. e tal.

Não contentes, ainda tentaram fazer muitas judiarias com Isaac.
Há já uns anos, estava Isaac a curtir uns dias em Ibiza, quando surge um marado chamado Torquemada a dizer que havia que cozinhar Isaac a la plancha que nem uma gamba!
E ainda noutro dia um empapelador de paredes austríaco, que se achava o Superman por causa de uns livros de filosofia que leu, já queria gaseificar o Isaac e enviá-lo pela chaminé acima …é o que dar confiar na criadagem!

Farto de ver os outros a fazerem gato-sapato dele, Isaac pensou para si mesmo:
“Vou-me mudar para a zona mais perigosa da cidade! Ninguém vai ter coragem de aparecer lá para me massacrar a cabeça!”
E aquilo era mesmo uma zona fodida! Além de não ter condições para as crianças, e NENHUM espaço verde, tinha uma vizinhança do piorio! Não deixam as mulheres sair de casa, volta e meia há algazarra e luta de gangues, e além disso nem podem ver o Isaac, sentimento aliás mútuo (embora rumores levem a crer que exista um antepassado comum a Isaac e aos seus vizinhos, uma tia-bisavó de um que andou metida com um trisavô de outro, mas nem Isaac nem os seus vizinhos alguma vez o admitiriam)! Mas o Isaac estava feliz! Laços afectivos uniam-no àquele bairro! Afinal dizem que o bairro foi fundado por um tetra-avô de Isaac, um velhinho que metia uns coros do caraças, do tipo dizia que separou as águas, e falou com Deus, mas muito simpático!
Isaac meteu uma porta blindada, decorou a sua casinha de forma a se tornar a mais bonita do bairro, e vivia assim feliz, no seu bairro Bloco C, Habitação 23, 1º Esquerdo.

Mas um belo dia, talvez fruto de sentimentos recalcados de revolta contra quem lhe fez a vida negra...Isaac pirou de vez, e refutou pelo menos 2 ou 3 dos 10 pontos pelos quais sempre pautou a sua vida e pensou:
“Já que sofri, agora também tenho o direito divino de cagar de alto para toda a gente e fazer o que me apetece! Acabou-se o Sr. Gajo Simpático! “
Nesse mesmo dia, comprou uma pistola e entrou pelo outro apartamento do 1º andar adentro a dizer que tinha direito histórico a ocupar pelo menos a sala de jantar, o quarto de banho, um dos quartos de dormir e metade da cozinha! A família do vizinho, se quisesse, ficava com outro quarto e metade da cozinha! E é um pau!
Não contente com isso, já chamou um trolha para construir lá uma parede a separar a família do vizinho da sua! Armou-se a puta! Aquilo foi uma confusão nas reuniões de condomínio! Mas Isaac não se importava! A chavalada do vizinho é que não o deixava em paz! Quando ele passa fazem pouco dele, insultam-no pelas costas e atiram-lhe pedras! A resposta do Isaac? Balázio nos putos!! Bang! Bang! Ora toma que já almoçaste!

Mas Isaac não se contenta com o que faz no seu andar! Não! Em qualquer lugar do bairro em que ele suspeite que haja uma conjura contra ele…é vê-lo entrar a disparar primeiro, a disparar ainda mais um bom bocado, a disparar uma vez mais, e a fazer perguntas depois!
Mas o que leva Isaac a pensar que, por ter sido uma vítima pode-se estar borrifando para as mais elementares regras do bairro e da cidade onde vive?

É que a irmã de Isaac é casada com o chefe da polícia e tem uma enorme influência no marido…