sexta-feira, maio 12, 2006

Pedro Granger: retrato do artista enquanto idiota


Pedro Granger, no seu papel mais relevante de sempre


Longe de mim gastar o tempo (que não tenho) e ultrajar o meu cérebro nihilista e crescentemente cultivado com telenovelas.

Porém, fruto do habitat diário, julgo saber que a TV mais popular(ucha) do país, apresenta no menú do dia, além de telejornais sensacionalistas contaminados de doenças e desastres, além de reality shows com pseudo-celebridades e de frutos silvestres devidamente açucarados, também uma novela com o nome de um hit do Paulo Gonzo (do Gonzo careca e mainstream, bem entendido, não do Gonzo indie, cabeludo e sueco).

Acontece que os escritores dessa novela, para se inspirarem pegaram em "Os Maias" de Eça de Queirós e em "Romeu e Julieta" de William Shakespeare, e...como não conseguissem passar da 1ª página em nenhuma das duas porque aquilo era muita areia para a camioneta deles, deitaram ambas as obras no Ecoponto mais próximo, no orifício destinado a papel e cartão, e escreveram antes uma idiotice pegada sobre um amor impossível, entre dois pseudo-irmãos, ela duma família de lisboetas que odeia o Porto e ele de uma família de portuenses que odeia Lisboa. Pois! Isso tem tudo a ver! Depois a culpa do mito urbano que designam de Guerra Norte-Sul é culpa do pessoal do Porto, não é?

O portuense é representado por Pedro Granger, que recentemente teve isto para afirmar:
"O que me custou mais ao fazer este papel foi o ter que dizer que o Estádio do Dragão é o mais bonito do país."

É pungente e comovente ver como o artista sofre pela sua arte! Alguns outros actores menos dotados poderiam preocupar-se com bagatelas como:
"Ao representar uma pessoa intolerante, custou-me ter que proferir frases racistas/xenófobas/sexistas/homofóbicas que não subscrevo de modo nenhum" ou "Quase senti nojo de mim mesmo quando tive que representar um violador" ou "O que me custou mais no papel de um assassino psicopata foi ter que simular sentir deleite com a tortura e o assassinato premeditado de um semelhante" ou ainda "Senti as minhas capacidades de representação testadas ao limite quando representei uma personagem gay e tive que ter cenas mais intímas com um actor do mesmo sexo, sobretudo porque a sociedade ainda não é tão tolerante e aberta como seria suposto ser".

Mas a dor de Pedro é maior! O seu coração sangra, sente-se conspurcado por ter que omitir uma opinião apaixonada sobre a beleza estética de um recinto desportivo, pelo simples facto de não ser simpatizante do clube de futebol que possui o estádio!
É grande a integridade artística do Pedro! É ao nível da TVI, sem dúvida!

PS - o estádio mais bonito do país é o do Braga, e eu sou Portista!

4 Comments:

Anonymous devilspit tornou público que...

É bem!!! Eu não conheço o de Braga, conquanto toda a sua concepção me pareça muito interessante, e como é sabido tenho a mania que sou anti-FCP e que odeio o Bimbo da Costa, mas pelo menos consigo admitir que o estádio do Dragão é bonito!

12:40 da tarde  
Blogger Nordico tornou público que...

pois ... concordo com devilspit ... apesar de ser de braga e do braga , o estadio mais bonito para mim é o do Porto.

12:54 da tarde  
Blogger Inês Ramos tornou público que...

Bonito é este (http://www.edeuscriouamulher.blogspot.com) "blog"... Agora estádios? 'Tão se a passar ou quê, meninos?

9:06 da tarde  
Blogger Figas_21 tornou público que...

O de Braga, quando o acabarem, então sim poderá vir a ser mais bonito que o do Porto. Os mais bonitos do País são a Luz e o Dragão.

2:06 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home