sexta-feira, maio 12, 2006

13 de Maio e a Vossa Senhora

Aproveite-se o facto de amanhã ser 13 de Maio, e de as televisões, jornais e outros estarem com uma crise aguda e sazonal de Fatimite para se declarar o óbvio, que poucos afirmam, mas que é evidente para quem tiver o mínimo de bom-senso.

O português não é um povo católico! Não o é nem nunca o foi!

O português é um povo tremendamente crente e supersticioso, ou não tivesse sangue de povos extremamente espirituais como o árabe ou o celta, mas não tem um sentimento religioso firmemente cristão como os povos realmente católicos, como os espanhóis, irlandeses, polacos ou austríacos. Mas o português, irónicamente para quem tem o culto do pobre e do coitado, tem fé e esperança! Porém a sua fé não se firma no Evangelho! É uma fé primária e primordial, uma fé pagã, subvertida e violada à força por Roma, não suavemente seduzida. Todo estes rituais medievais que ridiculamente se alongam pelo século da informação fora, a peregrinaçãos, a idolatria que leva ao ponto de se venderem figuras dos pastorinhos, da Lúcia (não, ela não é minha irmã) ou mesmo do Papa Bento, a auto-flagelação chamadas Promessas...que Deus cristão, que deus de luz e bondade exigiria um sacrifício humano, sangue, suor e lágrimas?

Portugal dota de divindade...Tudo! Tudo que não compreende, tudo que foge ao normal, tudo que se diz que foi assim...Vai à bruxa, venera cadáveres que não se corrompem, está cheio de amuletos divinos e profanos..acredita na Virgem? Que é a Virgem? A Virgem é a Deusa da Natureza! Reparem que muitas vezes não a chamam de Maria nem Santa Maria nem sequer Virgem Maria! É sempre A Virgem, A Senhora, A Nossa Senhora! A Virgem é o Sagrado Feminino, a Deusa Mãe, A Senhora, que a Igreja não conseguiu matar no coração de alguns povos (e se pensam que eu estou assim por causa da estreia próxima do Código Da Vinci, quero dizer que acho o Dan Brown um escritor vulgaríssimo).

O culto mariano é a maneira da decadente Igreja Católica conseguir disfarçar uma derrota, fazendo-a passar por uma vitória. Se Deus existir (SE! Duas letras uma enorme palavras) duvido que olhe com bons olhos todos estes adoradores do Bezerro d´Ouro!