quarta-feira, abril 26, 2006

Pequena Parábola

Há alguns fins-de-semana atrás, acometido de um travo nostálgico, fui com uns amigos a um bar chamado Klinika para uma noite de revivalismo de metal dos anos 90.
Uma vez lá, logo se percebeu que o que passava lá era DEAD Metal, porque aquilo estava mais morto que as caveiras de carneiro lá colocadas para uma tentativa infrutífera de ambiance.

Como aquilo não estava com nada, dei uma vista de olhos no Contagiarte. Mas o Contas desiludiu-me novamente (da penúltima vez estavam numa de Carnaval, desta aquilo parecia uma festa irlandesa).

Enfim, acabei a noite no Tendinha novamente, que é sem dúvida o meu lugar de entretenimento nocturno favorito no Porto, actualmente.

A moral desta história...não existe. Em vez de moral, fiquem-se por um desabafo. Esta brincadeira foi muito engraçada, mas pagou-se 3 consumos mínimos, 2 dos quais culminaram em grandes banhadas! Se ao menos o Porto fosse mesmo Espanha, como pensam os Theatre of Tragedy não haveria consumos mínimos, e uma pessoa poderia escolher o sítio que melhor lhe aprouvesse em cada noite, sem estar com considerações financeiras.