quarta-feira, março 22, 2006

O Passo sapou-se


Enquanto cliente da Sapo, a minha opinião geral sobre o meu ISP é...satisfatória (e isso nos melhores dias).
Já enquanto apreciador ávido de publicidade que sou, desde sempre que admiro a campanha de Marketing, spots e slogans publicitários da empresa, campanha essa baseada desde o primeiro dia no nome e imagem do simpático batráquio. A publicidade do Sapo por vezes é uma verdadeira jóia.
Desde logo, o slogan "Vive a assapar", em vigor desde a implementação da banda larga em Portugal. Depois, aquele spot sobre o chat do Sapo, em que o Sapo ia para a night, com um seu amigo, um pinguim (quiçá uma alfinetada ao Gates, uma afirmação que o Sapo é Linux-friendly!?). Aquele em que o Sapo corria contra a sua própria sombra, ou ainda aquele slogan "O Sapo liberôôôô-se", dito num irritante sotaque lisboeta.

Porém, penso que desta vez foram longe demais. Sob a frase "Agora sem compromissos", para publicitar o novo tarifário sem carregamento obrigatório, vemos um spot televisivo em que não uma, não duas, mas TRÊS moçoilas com um corpinho de parar trânsito, abandonam, cada uma à sua vez, o lar união-factual que partilham com o Sapo, no meio de uma cena de separação de faca-e-alguidar, com gritos, choros, fotos - a lembrar tempos felizes em conjunto - rasgadas, jarras atiradas para o chão, portas batidas, enquanto o Sapinho nem por um segundo desvia o olhar do monitor, enquanto joga jogos on-line, escuta mp3, ou simplesmente navega.


A questão que se impõe: o que é que aquelas catraias viram no Sapo????

Chamem-me de preconceituoso, mas não me parece que um animal de sangue frio seja capaz de uma grande capacidade de sentimentos. Basta ver a forma desinteressada como as deixa partir.
Por outro lado, não dele ter sido pelo paleio. É que o Sapo é extremamente lacónico (talvez se interessem pelo seu lado escuro e misterioso), e quando abre a boca é só para coaxar. E, caso falasse, de certeza que da sua boca só iria sair o diálogo de um cybergeek.

Pode-se pensar que elas quiseram manter-se com ele, porque o sexo era bom. Até pode ser, mas a verdade é que o Sapo, à primeira vista parece assexuado. Mas que não seja!
Que espécie de trauma teriam aquelas meninas para sentirem tusa por um Sapo animado por computador???? Estariamos a entrar no reino de uma nova tara, a cyber-zoofilia, se calhar inaudita nos anais (sexuais) da História. Acrescente-se a isso o facto do Sapo poder ser hermafrodita como alguns batráquios, adicione-se um síndrome-da-princesa-que-beija-o-sapo, e até o Freud teria pano para mangas, a analisar estas rapariguitas.

Por conseguinte, tenho que concluir que a elas só lhes interessou o dinheiro dele. Pelo que trengos como eu lhe pagam por mês, bem que ele poderia ter um harém.

2 Comments:

Blogger Tere tornou público que...

Profundo... reduziste finalmente a escrito o que metade do país se questiona... que raio viram as meninas no sapo???? Dinheirito... pois só pode... BEm dezido...

10:03 da manhã  
Blogger W. tornou público que...

Ora bem, devo portanto deduzir que uma parte daquelas moçoilas também é minha, tal o dinheiro que já enterrei no SAPO! Embora continue a achar que aquilo é uma mensagem subliminar a dizer "o SAPO 'tá a cagar-se para vocês, mudem de ISP!".
Para citar o Cocas, "Cabrões dos sapos!"

10:57 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home