sexta-feira, março 31, 2006

O execrável futebol português

O lamaçal do luso-futebol

"Eu vim enterrar o futebol português, não para o louvar" seriam as palavras de Marco Antonio.
Mas é como me sinto, por isso digo-o eu. Não me interpretem mal, eu sou e serei sempre adepto do...vocês sabem qual, o Maior! Mas se sim, é por duas coisas. A primeira o meu cromossoma Y, a segunda a minha necessidade primordial de uma sensação de pertença tribal.
Mas o futebol para mim tem cada vez menos interesse. Discordo em absoluto com os seus seguidores mais fervorosos. Dizem que o futebol é um desporto. Mentira. É um desporto quando o jogas com os teus amigos na rua, no parque ou no recreio da escola, é um desporto quando o jogas ao fim-de-semana com os teus colegas da fábrica ou do escritório.
Também dizem que é uma arte. Não concordo. Desporto-arte, na sua versão estética clássica seria ver Brasil-Suécia na vertente voléibol feminino de praia.
Não, meus amigos, quanto muito o futebol (profissional) é um negócio bilionário de entretenimento de massas, fundamentado pela tal necessidade tribal, mas não uma arte. No máximo, alguns dos profissionais pagos a peso de ouro por fazerem um exercício físico fázem-lo de tal maneira bem, que tornam o futebol algo semelhante a um blockbuster de verão, pleno de efeitos especiais mirabolantes, que nos agrada ver, mas que não será nunca cinema de autor.

Assim é o futebol no mundo. Mas o de Portugal mete-me nojo. Já não há paciência para este perene ambiente de bar de putas-a-três-vinténs, a feder a tabaco e whiskey barato em que o futebol português está preso, falo desta situação de corrupção, suspeição e pressão permanente. E por favor, não venham dizer que a culpa é só do FCP e do Pinto da Costa. Mas de facto, já não aguento este circo de aberrações paridas sem cessar, estes Pintos, estes Reinaldos Telles, estes Valentins, Oliveiras, Madaíles, Vales, Veigas, Vieiras, Cunhas, Pimentas, Linhares, e um sem número de semelhantes bufões. Não se aguenta a gritante parcialidade dos jornalistas de rádios, TVs, e publicações, desportivas ou não. Essas manchetes a puxar à polémica todos os dias, essa necessidade que as TVs têm de falar TODOS os santos dias dos chamados 3 grandes (mesmo que não haja nada a dizer), e os pequenos que se fodam, ora bem!

Não aguento o nível das arbitragens, o nível de futebol praticado, faltas brutais, anti-jogo flagrante, equipas que jogam para não perder, comportamentos desleais, perdas de tempo, autocarros à frente das balizas. Nenhum fair-play nas derrotas, desculpas absurdas, equipas flagrantemente ajudadas numa semana a louvar os árbitros, para na semana seguinte se sentirem perseguidos pelos "bois pretos" e por "sistemas" meta-físicos. Sempre os mesmos embrutecidos seres um pouco acima do simiesco a debitar sempre as mesmas cassetes pós-jogos, com os mesmos clichés de 1973. Presidentes tresloucados a fazerem novelas sobre as condições do futebol português, e a incitar o ódio contra os rivais para que os adeptos não se lembrem que as promessas utópicas de vitórias e glórias do início da época nunca chegarão.

Não aguento ver sempre os mesmos excelentes estádios desertos. 3 cheios, 6 às moscas...é o prato da semana sim, semana sim na Superliga.
E os adeptos? Agressões, roubos, tráfico de droga...Humm, acho que é tudo. Não, afinal também há o imitar macacos para insultar os pretos do adversário (os "nossos" são negros, os dos outros pretos) e o oooohhh...FILHO DA PUTA!!!, nos pontapés de baliza

E que falar do espiritual no futebol? Idólatras a beijar santinhos e nossas senhoras de Fátimas (a propósito, que cabazada que na 3ª-Feira passada a NSF deu à Mare de Déu de Monserrate, no que toca a intervenções divinas), galos negros no relvado(!), bruxos(!!). Mas que merda é essa??? A liga principal de Futebol portuguesa é uma contradicção do contínuum tempo-espaço. Ou é uma liga portuguesa jogada na Nigéria, ou é uma temporada 2005/2006 jogada na Idade Média.
E como somos nós no estrangeiro? Por estranho que pareça, é uma dos únicas áreas em que somos competitivos. E no entanto não somos respeitados. Talvez seja porque não gostem que os pequenos ganhem. Mas quando ganhámos (nós, Porto!!!) alguma coisa lá fora, ou passamos algum adversário difícil, é sempre a mesma coisa...dizem que jogámos sujo e violentamente, que nos fazemos à falta, que gastamos tempo...Porque nos queixámos? É a nossa mentalidade. Também é absurdo a estúpida atitude patrioteira de torcer por todas as equipes que têm um jogador ou treinador português. Agora não param de falar de um tal Carlos, ex-redes do Boavista que se tornou um ídolo do Steaua de Bucareste! Quer-se dizer, só porque o Boavista é tão merdoso que tem que vender jogadores para um dos países mais pobres da Europa, eu agora tenho que ler e ouvir falar do Steaua de Bucareste!? MEUS AMIGOS, METAM ISSO NA CABEÇA: Eu estou-me a cagar pró Carlos e pró Steaua, pró Cristiano e pró MU, pró Mourinho e pró Chelsea, pró Deco e pró Barça! A não ser que tais jogadores e treinadores estejam no FCP ou na Selecção Nacional!!!!
Mas porque é que no estrangeiro não somos respeitados, se temos bons jogadores e treinadores, boa selecção e fazemos alguns fogachos nas competições de clubes? Xenofobia? NÃO! Eis porquê:
Mourinho - o melhor treinador do mundo quando ganha. Mas a maior cabra do mundo quando perde. Só suscita amor no Chelsea, pelo resto do mundo é odiado.
Cristiano Ronaldo - a mentalidade lusa de se atirar para o chão não é apreciada em Inglaterra. Fotos vestido de mulher. Acusação de violação. Chega?
Figo - talvez a maior puta de sempre do futebol mundial. Assina com o Parma e a Juventus simultâneamente, esfaqueia o Barça que o adora pelas costas, sai e entra na selecção como se fosse a casa da Mãe Joana!
João Pinto - agride a soco um árbitro na fase final do Mundial. How low can we get?
Equipa sub-21: para comemorar o apuramento para uma prova há uns anos, destruíram um balneário em França! Muito Heavy Metal, anos 80, mas degradante no futebol mundial actual.
Jorge Costa - há anos atrás esteve envolvido em agressões mútuas e sangrentas com George Weah do AC Milan.
Abel Xavier - Envolvido em ameaças ao árbitro no França-Portugal do Euro' 2000, doping, cabelos alienígenas.
Fernando Couto - Nandrolona.
Sérgio Conceição - Como se não bastassem fatos de cor estapafúrdias, arrisca-se a ser irradiado por atirar a camisola à cara de um árbitro.
.......................
Ah, para finalizar, os estágios da selecção nacional. Reza a lenda que Churchill dizia que a Marinha Inglesa era conhecida por 3 coisas: "rum, sodomy, and the lash".
A selecção portuguesa é conhecida por: "putas, prémios de jogo e egos".

3 Comments:

Anonymous astropastor tornou público que...

Que analise genial dos futebol Português sergy. Só mesmo ao teu alcance.

12:44 da manhã  
Blogger Bífido tornou público que...

Bem...já se pode respirar :)
Muitas verdades, e infelizmente para continuar por demasiado tempo.

4:43 da tarde  
Blogger Tere tornou público que...

Beeeeeeeeeeeeeem... fechou o tempo por estas bandas... dasssss amigo tás furibundo... disseste verdades... sem dúvida, mas eu continuo a amar ver o meu benfica jogar, joga mal fico lixada, joga bem fico contente, gosto de ver futrbol, não gosto do futebol de dirigentes,... mas isso sou eu... mas falaste bem xixeñô... BJokas

1:44 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home