sábado, fevereiro 11, 2006

"Eu já lhe dou o arroz!" ou "Big Sista is watchin´ya!"




Mau grado o ar beligerante, arma em riste, ar afectado de Pierce Brosnan texano, o Sr. Jorge é um homem mudado. De tal maneira, que a continuar assim, arrisca-se a ser sério candidato a ganhar o Prémio Nobel da Paz.
Se não vejam: o Sr. Jorge não gostou nem um bocadinho dos danados, danosos, daneses desenhos de Maomé. Mentes maldosas poderiam supor que ele não gostou porque não os compreendeu. Mas o Sr. Jorge é um
“born again christian”. E esses são pessoas muito religiosas. Quiçá o Sr. Jorge possa estar na génese de um movimento ecuménico fundamentalista global. É vê-lo, qual Papa, a defender a necessidade de paz e respeito em todos os países! É como digo, é um bom homem, este Sr. Jorge.

Já a “Halle Berry” quarentona, é outra música! A mulher é possessa! A preta é pior que 100 velhos ricos, brancos e Republicanos juntos (como sejam – e citando Michael Moore – “Dick Cheney e Donald Rumsfeld, os amigos velhos e ricos do papá Bush”, na opinião de muitos os verdadeiros líderes da Administração Bush).
Mulher e negra, ou seja pertencendo a duas minorias durante séculos minimizadas por hillbillies, red-necks e white trash como o Sr. Jorge, seria de esperar outra mentalidade e ideologia política por parte de Miss Rice, mas tal não acontece. Duvido que
Martin Luther King e Rosa Parks tivessem qualquer simpatia por esta sua sister.
Ao contrário de
Malcolm X e de Muhammad Ali, Condolezza use orgulhosamente o seu slave name: Rice, arroz (branquinho, claro), não da marca Uncle Ben, mas da marca Uncle Thomas (ou Pai Tomás, o escravo amigo dos filhos brancos do patrão, feliz com a sua condição de servidão e uma cabana).
Esta Mãe Tomásia ou Aunt Jemima não tem o mínimo problema de mandar para a morte soldados, jovens americanos brancos, negros, hispânicos e asiáticos. E muito menos se preocupa com os irrelevantes danos colaterais, milhares de vítimas militares ou civis, culpados ou inocentes, homens, mulheres, velhos e crianças, pois afinal, Eles são todos iguais, como diriam os seus amigos do KKK!
Mas o pior é defender tacitamente o encarceramento de prisioneiros de guerra por tempo indeterminado, sem notícias para o exterior e sem julgamento, e a “exportação” desses mesmos POW´s para países para serem torturados.
Práticas aceitáveis por certo em dictaduras marxistas ou fascistas, mas impensáveis (penso eu) num país fundado nos princípios da Justiça, Liberdade e Democracia (herança maçónica de Washington e outros founding fathers), princípios que ainda hoje advoga.

Enfim, esta mulher têm-nos no sítio! E são enormes! E brancos!

2 Comments:

Anonymous Fred tornou público que...

Gaa! como estes c*ralhos dos americanos me irritam!! Gaaa!!

2:09 da manhã  
Blogger W. tornou público que...

É cinquentona e a Halle Berry é bem melhor!

5:43 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home