quarta-feira, junho 29, 2005

Say "é que é já a seguir" again! I dare you! I double-dare you, motherfucker! Say "é que é já a seguir" one more goddamn time!


Eles andem aí! Em casa, no emprego, nos bares, cafés, restaurantes, igrejas...é só pacóvios a dizer "É já a seguir! É que é já..." BLARGH!, nem consigo dizer o resto!
Rais´parta o Montepio, estúpido banco mação! Primeiro foi o RAP ( e eu adoro Gato Fedorento, mas quando todo e qualquer papalvo começou a dizer "Falam, falam e não dizem nada, fico chateado, com certeza que fico chateado", comecei a nutrir um ódio de morte por esse sketch em particular), agora isto! O meu pai vem dizer que esse banco tem boas publicidades, pois ficam na retina e na consciência colectiva. Eu não concordo; não entendo de marketing, mas penso que quando a frase é mais forte que a imagem do produto a ser publicitado, algo está errado...a maioria das pessoas que dizem "é já a..." nem sequer identificam o produto! A mensagem não passa!
Eu até adoro publicidade, portuguesa e estrangeira, e alguma está muito bem esgalhada...e contudo, quando as coisas se começam a banalizar, quando toda a gente repete as frases até à exaustão, começo a sentir por essas frases e por esses produtos uma ira em crescendo.
Chamem-lhe a "Síndrome do Tou Xim, é Prá Mim!". Esse anúncio da Telecel abriu um precedente perigoso!
A partir daí, todo e qualquer anúncio tuga que tenha uma "catchy little phrase" vai acabar na boca do mundo! É que é já...

10 Comments:

Blogger unknown soldier tornou público que...

concerteza que a mensagem não deve ultrapassar o próprio conteúdo ou o que publicita, contudo talvez seja uma situação mais benéfica que aqueles anúncios em que não fica nada!
[]

12:02 da manhã  
Blogger marsalho tornou público que...

Conceitos de marketing e publicidade aparte, também não suporto ouvir o povo a repetir a frase incessantemente!

2:07 da manhã  
Blogger Tere tornou público que...

O objectivo deste tipo de campanhas de marketing é esse mesmo, a frase poderosa que acaba por por de parte o produto publicitado faz com que a questão "Isto é de quê?" seja o veículo de comunicação mais eficaz, o boca a boca, através dele as pessoas passam palavra acerca do banco e do produto, e se não o identificar ficam mais atentos na próxima passagem na tv...
Mas que tens razão tens, é incrível que tenham banalizado o RAP...
Bjokas

9:49 da manhã  
Blogger Sergy tornou público que...

Us, pode ser...mas irrita na mesma!
È revoltante, marsalho, abraços para os 2!


Tere : Sad but true:(
bjos

1:21 da tarde  
Blogger magicgypsy tornou público que...

Isto é como tudo. Ao princípio achei graça, agora não suporto. Se pelo menos um gajo pudesse actuar á la Samuel, um tiro num deles e exclamar "Desculpa lá interrompi-te o raciocínio ?"

2:18 da tarde  
Blogger NightWolf tornou público que...

Nutro do mesmo sentimento, já não ha viva alma que tenha paciencia... é já a seguir o cara... e mais não digo
Um abraço!

5:29 da tarde  
Blogger H. tornou público que...

concordo plenamente com o que disseste...

eheh, vi o Pulp Fiction há pcs dias e a personagem do Samuel L. Jackson é ' do best ' ;º)

6:04 da tarde  
Blogger W. tornou público que...

Tinha ideia q o "Tou xim" era da extinta e longinqua Telecel...

7:54 da tarde  
Blogger Sergy tornou público que...

É mesmo, werklozen!
Ja corrigi!
A figura do sam é ducá, era fixe fazer isso na vida real!

7:14 da tarde  
Blogger Paulo Rodrigues tornou público que...

Adoro o titulo deste teu post, combina a besta com o bestial... muito bom...

10:13 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home