quinta-feira, junho 09, 2005

O poço...

Ele escolheu...não ele não teve escolha...para ele a dor sempre foi preferível ao vazio!
Por isso a solução, a única e possível solução era o abismo...o negro, frio, solitário poço sem fundo, onde ele se escondia da realidade que para ele era nada...das vidas estruturadas segundo lógicas racionais, das rotinas escravizantes, das ideías subjugadas, dos ideiais de juventude deturpados, das imaginações esmagadas pelas engrenagens da sociedade, dos sonhos desfeitos, do óptimo sacrificado no altar do razoável, dos egos sodomizados pela força da fria e calculista matemática.

Os momentos em que ele se alheava, e alienava eram o Paraíso...ele estava para além do tangível, do físico...as suas feridas cicatrizavam, por breves momentos...ascendia a um artifício que ele sabia ser o seu Céu...um mundo só seu, em que só ele contava..em que só ele existia...mas esses momentos duravam nanosegundos, e a queda na nossa atmosfera esmigalhava-o por dentro...mas ele era um lutador, e a dor e a solidão as suas únicas companhias.

Nessas alturas, ele queria ser diferente...queria que a vida o tivesse escolhido, e não rejeitado cruelmente..queria poder ganhar asas e sair do negro poço, sair do ambiente rarefeito, escapar da pestilência insanitária de agua barrenta, abandonar os negros tijolos cobertos de musgo reles...queria voar, escapar em direcção ao sol...mas como Ícaro, Apolo trataria de lhe queimar as asas e fazé-lo cair desamparado...
então, nã podendo fugir para a luz, fazia-o para as trevas...a profundidade enganava-o com cantos doces de sereias....

Até que um dia o poço engoliu-o...e paradoxalmente, pela primeira vez na vida sentiu-se livre! E feliz! Esboçava um inocente sorriso de criança feliz nos lábios, quando a terra começou a cair, selando ad eternun a sua última morada!

6 Comments:

Blogger Sergy tornou público que...

Provavelmente ninguém entende um caralho do que eu escrevo...basicamente, mais do que uma metáfora sobre o vício das drogas duras e o alcóol, este éum ensaio sobre o não-conformismo!

9:53 da tarde  
Blogger A Besta tornou público que...

Nem tudo que se escreve ou que se diz é entendido por todos da mesma maneira, mas isso também não interessa nada se o entendermos à nossa maneira.
Eu entendi-o à minha maneira e gostei :)

9:37 da tarde  
Blogger Inês Ramos tornou público que...

Para ser considerado «Literatura» tem que haver uma infinidade de leituras...

5:50 da manhã  
Blogger Sergy tornou público que...

O que eu escrevo é literatura??
Elogias-me em demasia...isto não mais é que idéias soltas de um cérebro perturbado!

4:46 da manhã  
Blogger Joanissima tornou público que...

Concordo com A Besta. Adoro os quasdros que pintas e que são interpretáveis(?) de formas ímpares por cada um...
Este post em especial está muito profundo.
Adorei!!

Beijos

5:04 da tarde  
Blogger Sergy tornou público que...

Ah, thanks, gang!:D

8:51 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home