domingo, maio 22, 2005

Poe



Ah, distinctly I remember it was in the bleak December,
And each separate dying ember wrought its ghost upon the floor.
Eagerly I wished the morrow;- vainly I had sought to borrow
From my books surcease of sorrow- sorrow for the lost Lenore-
For the rare and radiant maiden whom the angels name Lenore-
Nameless here for evermore.

Eu confesso que não sou muito amigo de ler...porém, tenho o prazer de dizer que sou um grande fã e admirador do senhor da foto de cima, e, embora para grande tristeza minha não tenha vencido a barreira da preguiça nem a fútil desculpa da falta de tempo para ler todos os seus poemas e romances, posso afirmar que já li a esmagadora maioria dos seus contos curtos!
Poe é um paradigma...é considerado um dos mais assustadores escritores anglófonos, mas ao contrário dos seus contemporâneos, na sua obra não há fantasmas nem vampiros, não existe nada de sobrenatural...Em Poe, tudo é alegorias, metáforas, visões oníricas, causas e consequências sobre vingança, loucura, morte, remorsos, e toda uma panóplia de sentimentos negativos, que embora desagradáveis fazem parte do que é ser humano.
De resto, nos seus trabalhos de maior importância só se encontra algo de verdadeiramente sobrenatural em The Raven (que é um poema, logo não conta) e The Masque of the Red Death (embora se possa afirmar que a Máscara da Morte Vermelha é uma metáfora sobre a luta de classes).
O que é verdadeiramente inquietante nos seus trabalhos é a criação de ambientes lúgubres e escuros, não raras vezes claustrofóbicos, de forma tão perfeita que quase nos sentimos transladados para eles, como se fossemos os espectadores de uma peça ou melhor ainda, as testemunhas silenciosas da cena de um crime.

Sendo um geek declarado, era minha grande felicidade se houvesse "Poe-chandising".

Na verdade, gostava imenso que tais productos exisitissem:

- Um peluche de The Raven (em cima do busto de Pallas)
- Um peluche de The Black Cat, com um olho de tirar e pôr
- Um playset do TheTell-Tale Heart, com os polícias, e o filho assassino, e um coração a bater debaixo do chão (a Lisa já criou isso num episódio dos Simpsons).
- Uma cópia da Masque of the Red Death
- Uma action-figure de Fortunato accorentado e emparedado vivo, como em The Cask of Amontillado
- Uma action figure da mulher do narrador do Black Cat, descoberta pela polícia emparedada, com um machado enterrado na cabeça e o gato negro em cima
- Um playset da casa de Usher, completo com a irmã de Usher viva no seu caixão de vidro nas catacumbas (The Fall of the House of Usher)
- Um playset do fosso e do pêndulo (The Pit and the Pendulum)!


"Thou wretch!–thou vixen!–thou shrew!" said I to my wife on the morning after our wedding; "thou witch!–thou hag!–thou whippersnapper–thou sink of iniquity!–thou fiery-faced quintessence of all that is abominable!–thou–thou-" here standing upon tiptoe, seizing her by the throat, and placing my mouth close to her ear, I was preparing to launch forth a new and more decided epithet of opprobrium, which should not fail, if ejaculated, to convince her of her insignificance, when to my extreme horror and astonishment I discovered that I had lost my breath.

2 Comments:

Anonymous mar tornou público que...

De repente sorri, e lembrei-me dos contos........ :) Bj

4:08 da tarde  
Blogger Sergy tornou público que...

São brutais, hã?:)

3:14 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home