quinta-feira, maio 05, 2005

Peanuts



Tenho pena, mas nunca curti Peanuts.
Nem Charly Brown, nem Snoopy, nem Woodstock, nem Sally Brown, nem Linus Van Pelt, nem Lucy Van Pelt, nem Peppermint Patty nem nada...
Agrada-me sobremaneira o traço do falecido Charles Schulz.
Eram alegres, e criavam um mundo infantil semi-onírico nos subúrbios americanos de classe média, sem nenhuma influência ou presença adulta.
Mas a verdade é que aqueles textos...não nego que eram inteligentes, mas eram muuuiiito chatos.
Nunca fui muito fã daqueles miúdos sempre a filosofar, sempre em depressão, numa voz calma , pausada e circunspecta....quase como se fossem góticos...ou versões infantis dos personagens interpretados por Woody Alen....
Há dias na revista Mad vinha uma sátira sobre a tira Peanuts...a imitar os primeiros trabalhos de Schulz, mas a parodiar a profundidade e seriedade dos guiões!
Nessa sátira, o Charlie Brown ia-se suicidar com uma faca, e o Linus pergunta porquê.
E ele diz:

"Good grief, my head is too big! I want to die!"

e o Linus :

"It´s no use, Charlie Brown! We all die alone!"

e no quadradinho final, la estavam os dois sentados no chão deprimidos...

Quem sabe, se o Charlie Schulz tivesse escrito desta forma, talvez eu tivesse gostado mais de Peanuts!