quarta-feira, janeiro 05, 2005

Por detrás destas paredes

Há muita dor por detrás destas paredes.
Dor que se sente por fora e por dentro, dor que sobe de tom em cada dia, cada noite, cada ano que passa.
Torna-se algo insuportável na sua consistência, uma rotina de sofrimento.
Há muito medo por detrás destas paredes...medo crescendo como Cancro no nosso âmago, medo...um parasita negro que se aloja no cérebro, agitando os afazeres diurnos e o repouso nocturno.
Oh, pudesse eu viver para além destas paredes...fora destas paredes, exorcizo a dor, silencio o medo. Vivo uma fantasia, demonstro a todos o que não é...é difícil fingir, simular, e guardar de todos o que sinto, o que penso, o que se passa...mas nesse estado de doce, doce letargia entro num mundo de pretensa liberdade e felicidade.
Alieno-me...

Mas os momentos para além destas paredes são céleres, e sempre assombrados pelo espectro do mal-estar que me espera, por detrás destas paredes.
Quando volto, a minha paciência é testada vezes sem conta, numa prova cruel e constante!
E eu tento resistir ao máximo....

...mas não consegui! FODA-SE! VAI-TE FODER!!! Abusaste de mim pela última vez, insultaste-me pela última vez, bateste-me pela última vez!
A dor, o medo já não são...jazem numa poça escarlate a meus pés!
Não tive culpa...fizeste-me cruzar a linha do que é racional!
E por detrás destas paredes sinto-me livre...
E por detrás destas paredes já não tenho medo nem dor.
É Inverno mas eu sinto o calor do alívio...ligeiramente abalado por uma suava brisa de remorso...uma picada que me leva a dirigir-me para o telefone!

2 Comments:

Blogger Inês Ramos tornou público que...

Muito bom. Gostei imenso. este texto está suficientemente subjectivo para poder ser um grito de desespero de um filho que após receber sevícias do pai o decide matar, a mulher que farta dos maus tratos do marido alega que ela estava na cozinha a preparar o jantar e o marido entrou tropeçou e veio contra a faca dela...

treze vezes... ;)

Pode ser o que se quiser que ele seja e aí reside a sua maior beleza e literariedade. É pura prosa poética.

4:16 da tarde  
Blogger Sergy tornou público que...

Bem, criticas elogiosas destas podem realmente ser a única coisa capaz de salvar o dia de merda que estou a ter!:)
E vindas logo de quem vêm!
Ainda bem q gostastes!

5:18 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home