sexta-feira, janeiro 07, 2005

Carpe Diem

Longe se tornam os dias. São idos e passados; a memória vai-os abatendo, esfumando até o que sobre lá dentro não mais é que uma pobre reminiscência de uma vida passada. Hindus e outras pessoas falam de reincarnação. De vidas passadas, de karmas a pagar. Eu acredito em vida antes da morte, eu acredito na reincarnação enquanto vivo, que durante a nossa caminhada nós levamos muitas vidas diferentes. Sei disso agora pois relembro os tempos passados, há dias, há meses, há anos e parecem uma vida diferente, em que eu era alguém diferente, com motivações, esperanças, sonhos, objectivos, sentimentos e reacções diferentes.
O tempo molda o nosso carácter, as nossas experiências esculpem o que somos...somos o somatório do que temos para receber e para pagar. Animais somos, mas eu penso que a longo prazo, na "big picture" somos mais um mineral...uma rocha que sofre a erosão do tempo...um rio que corre e flui livre e selvagem pelo curso que toma...claro que podemos transbordar, podemos sair do rumo que à priori nos está destinado...podemos alterar o nosso curso, mas penso que é impossível não sermos condicionados por ele, para o bem e para o mal.
À medida que o tempo foge, os nossos pensamentos tornam-se pesados, e os nossos sonhos confusos...a sabedoria que vem com a idade, penso ser uma convenção, uma regra pouco difusa.

Enquanto o passado se esfuma ao longe e o futuro é uma quimera difusa, viver o dia-a-dia, o presente, o momento a momento é a mais sábia das filosofias.

5 Comments:

Blogger Sir Paul Cezar tornou público que...

Sábio Sergy! Poeta Sergy! Filósofo Sergy!

11:47 da manhã  
Blogger Sergy tornou público que...

Psycho-Sergy!

11:50 da manhã  
Blogger Miss I tornou público que...

Eu não percebo praticamente nada de latim, mas não é "carpe diem"? (Peço desculpa se estou a dizer alguma barbaridade! lol)

O texto está muito giro, lembrei-me de um estudo que uns americanos fizeram para provar que a personalidade da pessoa evoluía ao longo do tempo e que as pessoas ficavam mais simpáticas, pacientes e generosas com a idade. Achei estúpido alguém provar uma cena que me parece do senso comum, mas pronto, são americanos!

A verdade é que preocupar com antecedência não resolve nada. Se correr mal, logo se vê! O que interessa mesmo é aproveitar cada minutinho do agora..

12:45 da tarde  
Blogger Inês Ramos tornou público que...

Não acredito no determinismo, no fatalismo nem em teorias acidentalistas. Temos que ver a vida numa perspectiva sincrónica e diacrónica em simultâneo. Gosto da filosofia horaciana do «carpe diem» e de viver cada dia, aproveitando ao máximo para nos enriquecermos e tornarmo-nos pessoas melhores fazendo aquilo que achamos que está certo e que não só é o melhor para nós mas também pensar no que é melhor para os outros, porque o mais feliz entre os felizes é o que faz feliz os outros.

1:09 da tarde  
Blogger Sergy tornou público que...

Mas aquele que torna os outros felizes também pode ser ele infeliz!

5:13 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home