quarta-feira, dezembro 22, 2004

Triologia de pequenos contos crueis de Natal : II - Inocência e pureza sucumbem quando o Lobo ataca ou Santa Claus is cumming to town!

Quando andava na escola, a melhor amiga do Joãozinho era a Rosinha!
A Rosinha ficou muito triste quando os pais lhe dizeram que o pai do Joãozinho tinha ido ter com Jesus, e que o Joãozinho tinha graves problemas e tinha que ir para o orfanato!
Dois anos depois de Joãozinho ter ido para o orfanato! A Rosinha era uma linda menina de 9 anos!
Uma rosa verdadeira, um anjinho louro de coração puro e olhos aquosos!
Joãozinho tinha amado Rosinha, com um amor tão puro e intenso como só as crianças amam! Se a vida de João não tivesse conhecido contornos tão macabros, por certo que Rosinha teria sido a primeira menina que ele teria beijado!
A Rosinha gostava muito do Pai Natal, mas começava a desconfiar da sua existência.
Um dia a Rosinha voltava a pé da escola, depois do último dias de aulas antes das férias de Natal.
Caminhava por uma rua deserta, mal iluminada pelos candeeiros e pelas iluminações natalícias das lojas.
Um homem vestido de Pai Natal aproximou-se e disse-lhe olá!
A mãe disse para ela nunca falar com estranhos!
Mas era o Pai Natal, que diabos!
E trazia-lhe um balão de presente.... E ela queria tanto acreditar que ele existia! E que estava ali!

A Rosinha acordou numa cave escura.
O homem já não era o Pai Natal.
A barba estava caída.
O homem tinha o peito nu!
Quis chorar! O homem disse-lhe para estar calada...ter calma. A sua voz era cavernosa, e cheia de vigor..tentava ser tranquilizador, infrutiferamente.
O seu hálito fedia a algo que a Rosinha não conseguiu identificar.
Chorou, aterrorizada de medo(nãoporfavornãoaminhamãeMÃEqueroaminhamãe")! Não conseguiu falar. Nem enquanto o homem acariciava a sua cara e cabelos("nãonãolarga-mequeroirembora"), nem enquanto ele beijava e lambia lascivamente as suas rosadas faces(ñãonãonãoporfavornão"). Nem enquanto ele passava as suas mãos impuras no corpinho dela.("párapárameudeusajuda-me")
Nem quando ele despiu as calças vermelhas de Pai Natal! Nem enquanto ele tirava-lhe as suas roupitas.(mãemãemãe comoéque amãetinha-lheensinado paipaiondeestáspai nossoqueestaisnocéu"...)
Só gritou, e como gritou!!! quando ele lhe perfurou e destroçou o hímen, penetrando-a com brutal força!
Mas ninguém ouviu, e se ouviu, ninguém se importou! ("FELIZ NATAL, FILHOS DA PUTA! Oh! Oh! Oh! Oooohhh! Putinha querida tão apertadinha mmmm")

Após ter cometido o seu hediondo acto, o Monstro fez o que tinha que fazer. Rosinha era um anjo caído, um trapo soluçante e ensanguetado aos pés do monstro. Destruída sua inocência, e sua alma, o Monstro ia destruir-lhe o corpo. Não porque isso lhe desse algum prazer adicional, mas porque Rosinha tinha que desaparecer.
A faca dele brilhou. Um corte rápido! Da esquerda para a direita.
O Monstro era talhante! Tinha muitos instrumentos cortantes! E tinha cães!
E que festim tiveram os cães durante dias!
Instintivamente já sabiam que quando o dono trazia visitas, iam ser alimentados com carne crua e tenra, de primeira por dias e dias!

Os pais de Rosinha nunca souberam do paradeiro e do destino do seu único anjo!
E cada ano que passava, o Natal relembrava-lhes a sua perda, e perdeu magia e tornou-se a pior altura do ano, nas suas vidas negras!

3 Comments:

Anonymous Anónimo tornou público que...

Ai coitada da Rosinha...nem pode contar às amigas que a sua 1ª vez tinha sido com m pai natal...não ha direito!
JuleX SempRe

1:24 da manhã  
Blogger Sergy tornou público que...

Julinhaaa!:)

Tudo bem, garota?
Não devias ler isto, são contos de terror para maiores de 18 anos;)

Se tiveres pesadelos com rotweillers e pais natais monstruosos não venhas dizer que a culpa foi do Uncle Sergy:)

8:07 da manhã  
Blogger Inês Ramos tornou público que...

WOW!!! Lindooooo! Imperas!
O comentário da JuleX também está muito interessante!
És tão "twisted"... Estou deleitada.
Parabéns!

10:04 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home