sábado, dezembro 25, 2004

Comentário sobre as minhas escritas literárias. Bonús : conto curto!

Uma vez que vários leitores deste blog comentaram - e aparentemente gostaram - de algumas parvoeiras com pretensões literárias que eu pari para aí no meu blog, achei por bem criar um post só para vos agradecer...ou não.
Como sabem, este blog foi criado só para meu prazer pessoal. Mas sinto-me HONRADO que pessoas que eu conheço pessoal ou blogoesferalmente tenham paciência para ler o que escrevo, comentar e - oh suave milagre - gostar!! É um deleite narcisó-egocêntricó-masturbatório-virtual! Aliás, pelos comentários, tenho que me pôr a toques, porque acho que tenho uma groupie com pretensões a stalker, que por vezes faz-se passar por agente do FBI! É melhor avisar as autoridades competentes!:)

Eu sei que não sou um bom escritor! Para verem o que é um - ou mais... - bom escritor vão a www.amornegro.blogspot.com
Simplesmente, gosto de expressar sentimentos, pensamentos e idéias por palavras. Com Forma e Conteúdo. Se possível...
Eu não tenho originalidade. Não sou Tolkien nem me parece que o Peter Jackson vá fazer 3 filmes sobre a minha triologia de Natal (por um lado seria bom, seria a volta de Jackson a casa, aos filmes de Gore neo-zelandês estilo Bad Taste. Seria uma boa cena. Elijah Wood seria um bom Joãozinho...Ian McKellen um bom pai da Rosinha...).
Uma das merdas que eu gosto mais de fazer (interromper as frases, abrir parêntesis, abrir aspas, escrever frases juntas, fechar aspas, fechar parêntesis), descrever o pensamento das personagens, é um plágio DESCARADO de Stephen King. Aquela merda de despedaçar a Rosinha e dá-la aos cães é descrita em Watchmen, um comic escrito pela lenda viva dos Comics, o inglês Alan Moore (mesmo quem odeia bd DEVIA ler "Watchmen", "From Hell" e "V for Vendetta", pelo menos). De resto, as pessoas, acontecimentos e destinos são da minha autoria.
Eu escrevi sobre merdas mórbidas, mas que infelizmente são dramas pessoais, tragédias que lemos todos os dias nos jornais (cães que atacam o dono, crianças violadas por tarados filhos da puta, a traição, a vingança, o súicídio). Simplesmente, eu fiz o meu melhor para as descrever com alma e coração. Forma e Conteúdo!
Eu quase tremi de medo quando descrevi o terrível destino de Rosinha. Senti o pequeno-almoço a subir...quase chorei quando escrevi a carta de suicídio da mãe dela.
Não tenho perfil de destruidor, mas gosto de construir. Gosto destes contos que escrevi porque me senti Deus...criei...construi...um mundo com pessoas, e vidas e histórias próprias!
Mas não criei um mundo de amor e luz...é um mundo frio, um mundo de trevas profundas...um mundo de morte, sangue, violência, drogas, e perversões físicas, espirituais, psicológicas e sexuais várias, em que a felicidade e o amor vão-se desvanecencendo ou são brutalmente destruidos à força. Um mundo em que os bons sentimentos servem de mote à morte. Em que a felicidade temporal acaba em suicídio. Em que o amor nos torna assassinos. Eu odeio este mundo que criei. Amo-o e odeio-o, como um bom pai que gerou um Monstro, deu-lhe amor e carinho, e ele tornou-se um assassino ("Virtue births a Daemon, Pandora´s box unhinged sets loose the night", como gritariam os COF!). Mas continuo a olhar para ele, como um mórbido voyeur. Como quem observa um acidente na auto-estrada. O mais aterrador é que este mundo que eu criei É o mundo real, muita vezes...

O facto é que eu vou continuar a engendrar o caos e aprisioná-lo neste blog...desde piadinhas porcas-estupidas-negras, a filosofia pessoal de pacotilha, a merdas literárias, vai valer tudo...assim me assaltem as musas...E como são negras as minhas musas!

Uma vez eu quis ser gótico...saí duas ou trêz vezes com um grupo de góticos, e eles dizeram-me:
"Sérgio, agora é que ultrapassaste a linha...infelizmente não podes sair mais connosco porque és muito mórbido, e deixas-nos assustados e deprimidos...um conselho, pá, tenta viver a vida com uma atitude mais positiva e light, com mil diabos"
:)
Se quiserem, se eu vir que vocês pedem por favor, sou menino para escrever um post a contar mais detalhadamente o assassinato do amante da velhota pelo (insuspeitamente encornado) marido in "o meu segredinho negro..."
Foda-se, se eu pudesse, visto que gostam tanto até vos cobrava para me "irem ao blog" ;)

Para acabar, uma rapidinha:

"Na noite de Natal, todos te esperavam. Mas tu nunca chegaste a casa. Quis o destino que te encontrasse. Na noite de Natal. Como eras bela. O frio enrubecia as tuas faces coradas. Eras bela e jovem. Uma deusa do Inverno. Toda a vida rosada da Primavera, toda a alegria dourada do Estio, toda a sabedoria castanha do Outono...tudo empalideceria face a esta beleza alvi-negra. A Noite! O Inverno! Eras tu! Não sei o que te levava a percorrer a rua a pé...sozinha. Na noite de Natal! Não quis acreditar que uma deusa se entregasse por necesidade à escória humana! Não eras como as outras fêmeas impuras! Estavas para além de qualquer distinção...certo ou errado!
Eras Eva, eras Lilith, eras Cleópatra, eras Nefertiti, eras a Meretriz Escarlate da Babilónia, eras Vénus, eras Afrodite, eras Cassandra, eras Pandora, eras lady Godiva, eras Lucretia Borgia, eras Khali, eras a rainha do Sabá, eras a Virgem Maria, eras Maria Madalena, eras a Deusa-Mãe que os antigos adoravam. A sociedade matriarcal, que o Homem derrubou, eras tu... Vim na tua direcção...a erecção que me provocavas deixou-me sentimentos de culpa grandes...era animalesca, iconoclasta...assustei-te...mas sorriste quando viste quem era...o teu sorriso gelou quando o meu punhal te perfurou o esterno...selei-te a boca com a minha mão enluvada...estrebuchaste, tremeste...estrela moribunda, estrela cadente...estava feito o deicídio...caiste no chão frio("este é o teu corpo, que foi entregue por mim")...para sempre jovem...para sempre bela("o corpo da nova e eterna aliança")...o meu punhal escorria sangue divino...(santo graal...sangue real...)("este é o teu sangue, derramado por mim e por mais nenhum homem para a remissão dos teus pecados. Faço isto em memória de ti! Amen")... o meu instrumento cortante era agora abençoado...Na Noite de Natal! Olhei ao longe a torre da igreja...11.20...tenho que sair...40 minutos para voltar...vestir-me...e celebrar a Missa do Galo...Na Noite de Natal...eu, um pastor que teve que sacrificar a minha melhor ovelha!
Na noite de Natal, todos te esperavam. Mas tu nunca chegaste a casa. Quis o destino que te encontrasse. Na noite de Natal!"

Como sempre :
"A pleasant evening and sweet dreams from your friend
Sérgio d´Andrade";)

6 Comments:

Blogger magicgypsy tornou público que...

Acho que devias de continuar a escrever e deixar a imaginação dar as voltas que bem entender. É natural que a nossa própria escrita não nos seja de todo confortável a partir do momento em que encontra um receptor mas isso só significa que é dotada de um grau mínimo de honestidade.
"Toda a gente tem um género" dizia o irmão básico para o irmão complexo no Adaptation.
Mexe-te nos terrenos que te são queridos mesmo que por vezes sintas que estás a tentar atravessar um pântano.
Continua.


magicgypsy

9:00 da tarde  
Blogger Sergy tornou público que...

Por vezes é preferivel atravessar um Pantâno de noite que uma estrada de dia!
Os perigos são maiores, mas a atenção é redobrada!
Volta sempre, Nuno

9:31 da tarde  
Anonymous Anónimo tornou público que...

Senhor Andrade,
Se o senhor continua a publicar textos deste calibre arrisca-se a ir parar ao cárcere onde só vai poder escrever "As Memórias" (de quando era violado à bruta no chuveiro).

Brilhante! Genial! Notável!

Ainda o responsabilizam pelos crimes do "Green River" e do "Zodiac".

Agt. Simona, FBI
www.fbi.gov

1:44 da manhã  
Anonymous Anónimo tornou público que...

mais uma vez....muito bom mesmo!!!
mas ja agora, se me permites, porque não descreveres com requintes de malvadez a violação de que foi vítima a bela e negra criatura antes de ser assassinada pelo bom pastor???


ass:rouxinol
ps:é um desafio!

2:53 da manhã  
Blogger Goth Mortens tornou público que...

Acho que é um desafio delicioso Sergy. Aceita-o.

12:10 da manhã  
Blogger Sergy tornou público que...

Vamos lá ver o q se pode arranjar:)

12:57 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home