segunda-feira, dezembro 27, 2004

Anjo Caído

Tu és FOGO dentro de mim, ardendo incansavelmente no eterno combustível das minhas imorredoiras reminiscências, indiscriminadamente consumindo puros e ímpios.

Tu és AR dentro de mim, memórias como fumo, formando espessas neblinas sobre rochedos onde navios quebram, assombrados por cantos ilusórios de Sereias.

Tu és TERRA dentro de mim, terra firma, terra queimada, vastas imensidões, onde estás-e-não-estás simultaneamente, habitada por feras, onde infantes se perdem.

Tu és ÁGUA dentro de mim, fonte de vida, fonte de morte, pluviosidade intensa e fátua, o gelo glaciar da tua ausência, o mar, o sal dos meus olhos.

Tudo o que és, tudo o que me (fazes) falta lapidaram um diamante negro no meu corpo de luz.
Ele é incrustado no meu coração, brilha quando inspiro e expiro..quando inspiro e expiro...DOR.
Tu és dor, tu és A DOR. As minhas lágrimas fluem anárquicas como o curso de rios ensandecidos pelo trovão..quando libertadas são cristais salgados que habitam no extremo fundo do mar, luz inquieta e fraca nas trevas marítimas. Que sou eu senão fel, ardendo como cera flamejante no meu âmago?

COMO TE AMAVA

Eras tudo para mim, antes. Beleza encarnada, juventude imaculada, poder admirável.
Como te quero lembrar assim...mas a beleza é sempre cruel e traiçoeira...eu sabia-o, mas o Amor é a maior cegueira. Provaste ser uma Serpente, sinuosa, viperina, venenosa e mortal... contudo, mesmo na maior provação, na cacofonia de sentimentos daquele dia...o teu rosto resplandecia mais belo que nunca, olhos iluminados por uma fúria inaudita, faces rubras como o sangue de um animal há mui tempo extinto.
O teu rosto escultural animado por uma fúria (VIVO como nunca, BELO como nunca) transcendental é a última imagem que guardo de ti...primeiro o Trovão...a orquesta insana de sentimentos que se rompem, fúrias recalcadas que irrompem quando rufam os tambores de guerra...depois o Relâmpago...a belicosa despedida, o incêndio na noite cor de piche, por entre a chuva torrencial...depois o isolamento...o Nada como sendo o inverso de TU(do).

COMO TE AMO

Por vezes imagino-te chegar na noite escura, ou na alvorada fria...quando o Sol vai alto, ou quando se afasta no mar longínquo...mas sei não ser(es) mais que uma ilusão. Uma ilusão menopausada, tornada estéril com o passar dos anos. Mas és uma fantasia, uma idéia viva, uma abafada serenata fúnebre dentro de mim....és um som ininterruptamente monocórdico, monocórdicamente ininterrupto sussurado algures e nenhures...algo que perturba o sono e agita cruelmente o dia...eu sei bem que não mais te verei...mas o desejo não cessa, e torna-se obsessivo ...e a obsessão gera febre, compulsiva e demencial.

Mas não haverá perdão....nem para ti, nem para mim....



10 Comments:

Anonymous Anónimo tornou público que...

Nota do autor:
Sentimento de Perda? Sem dúvida, mas quiçá a um nível sobrenatural...

11:06 da tarde  
Blogger Goth Mortens tornou público que...

Nota de Goth Mortens:

A beleza das palavras devia legislar sobre o horror do ser humano. A ficção devia ser o mundo e a realidade ser apenas algo que sonhamos. Deviamos ter o poder de fazer o bem mesmo quando para isso fosse necessário comer o pão assado nos fornos do Inferno.

11:11 da tarde  
Blogger Sergy tornou público que...

Nota do autor:
Sentimento de Perda? Sem dúvida, mas quiçá a um nível sobrenatural...
A perda do nosso proprio eu...


sorry lá, aquele anonnymous era eu!

11:24 da tarde  
Anonymous Anónimo tornou público que...

ouve bacano!! quer se dizer .....eu num manjei absolutamente nada das cenas das coisas do coiso q escreveste man!!! mas tass bem dread!! curti a cena das cores nas palavras..yah parecia o arco-iris chavalo!!! tiveste bem puto!!! curti as palavras grandes com totil de letras !!! és do bufo!!!


ass:Dread Row Chinol

12:37 da manhã  
Blogger Sergy tornou público que...

Quem a foda és tu?:)
(Who the fuck are you?)

Quanto ao meu post, é uma merda transcendental, pessoal (ou não)...não está nada feito nos meus posts, é estilo puzzle surrrealista, as merdas das peças estão lá, tu interpretas como quiseres, vês o quadro como melhor te aprouver!
tá-se???;)

8:03 da manhã  
Blogger Sergy tornou público que...

Ahhhh! És o Dread Paulo!

:)

1:30 da tarde  
Anonymous Anónimo tornou público que...

claro!!!!!!!!!!!!!!
agora decidi criar mais um heterónimo!!!! ehehehehhe
demoraste tanto tempo para perceber!!!! ahahahahhaahha

ass:paulo granja aka rouxinol aka dread row chinol

3:29 da tarde  
Blogger Inês Ramos tornou público que...

"Sergy,darling... You are jolly good, bloody splendid, so bloody fecking purely splendid... (with british accent)."

5:54 da manhã  
Blogger Sergy tornou público que...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

8:01 da manhã  
Blogger Sergy tornou público que...

Who me??:)

If I am all that, I doubt words could ever describe what you are and what you write.
Thank for the (overrated) compliment!

11:05 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home